quinta-feira, janeiro 29, 2009

Um dia...

"...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela... Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ... Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável... Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples... Um dia percebemos que o comum não nos atrai...Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom... Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você... Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..." Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso... Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais... Enfim... Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito... O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras...Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação."
"O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você."

4 Comenta aí po!:

Larissa Gonçalves disse...

É tão dificil falar e dizer coisas que não podem ser ditas. É tão silencioso,como traduzir os significados da palavra "bonzinho".Mas o tempo...

"Tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de abraçar e tempo de afastar-se; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz." (Eclesiastes)

Giselle disse...

Esse texto é show! Muito bem escolhido!

Fabrício Sales disse...

Sim Larissa, concordo com vc.

Sim Giselle ele é maravilhoso. Obrigado!
E Bem vinda ao blog!

thalita disse...

Apesar de bela a expressão "eternamente resposável por aquilo que cativas" traz uma conotação de estar preso, algemado, subjulgado, tanto para o cativo quanto para o responsável. Cativeiro é prisão e os laços afetivos nos traz a sensação de leveza, suavidade, alegria e liberdade. Somos livres para amar e deixar de amar, pois o amor é individual e proporcional conforme a medida de cada um.
Os sentimentos; esses sim são eternos.