quinta-feira, março 19, 2009

Amantes da Lua

Hoje...
Quero sentir nos poros
o abraço de vento dos teus olhos.
Tenho sede da seda do seu ventre.
Você, acetinadamente nua no horizonte do meu corpo.
...
Nós, arrepio....
A madrugada...
ancorada na eternidade do momento.
Em viagem adiada...
Adiada...
Adiada...
...enquanto uma música inaudível se solta, em espiral,
quando toco os teus seios....
...
Hoje...
Quero-te.
Febril.
Uivante.
Como só os amantes da lua sabem...

2 Comenta aí po!:

Larissa disse...

Após algum tempo sem postar,deixo aqui as minhas palavras aladas.

Somos eternos amantes,incessantemente buscando e as vezes temos a sensação de que a lua que tantos desejamos não está ao nosso alcance.Sentimos saudade de contempla e saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Mais uma excelente postagem,Fabrício.bjks

Fabrício Sales disse...

E vc, após um tempão sem comentar, fez outro exelente coment. rsrsrs
Bjs pequena!!!